Rede de Pontos de Cultura do Município de Pelotas
img_conceitual.jpg
Administrativo.Projeto
nome imagem fundonome imagem frente
O Projeto Rede de Pontos de Cultura do Município de Pelotas é desenvolvido junto ao Laboratório de Acervo Digital da ESIN/UCPel, concebido a partir do Grupo de Pesquisa Acervo Digital - GrAD (cadastrado no CNPq), vinculado ao Núcleo de Apoio a Projetos de Informática (NAPI) da Escola de Informática da UCPel (EsIn/UCPel). Este grupo, de caráter multidisciplinar, tem como objetivo principal a aplicação da Informática a serviço da preservação do Patrimônio Histórico e Cultural.
A estrutura da Rede de Pontos de Cultura é constituída da seguinte forma:
- Ponto Administrativo, localizado na Escola de Informática da UCPel e responsável por organizar as atividades dos demais pontos;
- Ponto de Cultura Fica Ahí Prá Ir Dizendo, um clube de etnia negra que este ano completou 88 anos;
- Sociedade Musical União Democrata, mais conhecida como Banda Democrata, uma banda centenária, fundada em 1896;
- Colônia dos Pescadores Z3. Nesta localidade, o Ponto de Cultura localiza-se na Escola Municipal Almirante Raphael Brusque.
Em todos os Pontos foram adaptadas salas que receberam computador multimídia, scanner, impressora e mobiliĆ”rio. Nas atividades iniciais, priorizou-se oficinas de software livre, educação patrimonial e organização de acervos. Os acervos destas comunidades estão sendo digitalizados e organizados em um sistema (Sistema de Gerenciamento de Pontos de Cultura) desenvolvido pela equipe do Ponto Administrativo.
Administrativo
.Notícias
nome imagem frentenome imagem fundo
O projeto Pontos de Cultura da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) recebeu o prêmio Escola Viva, outorgado pelo Ministério da Cultura. O anúncio foi feito na semana passada, e apenas 60 Pontos foram agraciados em todo Brasil. A premiação confere certificado e R$ 15 mil para investimentos em cada unidade.
Administrativo
.Ponto de Cultura
nome imagem frentenome imagem fundo
O Ponto Administrativo tem a responsabilidade de gerenciar os demais pontos de cultura, dar-lhes suporte para que sejam organizadas atividades que beneficiem a comunidade. Promover oficinas de inclusão digital, organizar os acervos que são digitalizados, apoio à pesquisa histórica da cidade.